AGRICULTURA

Em Brasília, governador pede reforço nos estoques de milho da Conab em Santa Catarina




Foto: Peterson Paul / Secom

Grande consumidor de milho, Santa Catarina solicita reforço nos estoques da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para suprir as cadeias produtivas de carne e de leite. Esse foi um dos assuntos tratados pelo governador Carlos Moisés e o secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Altair Silva, na audiência com o ministro em exercício da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Marcos Montes Cordeiro. O encontro ocorreu na manhã desta sexta-feira, 29, em Brasília.

"Os estoques da Conab em Santa Catarina estão muito aquém do mínimo necessário para que possamos dar uma segurança aos nossos produtores. Solicitamos ao Ministério da Agricultura uma revisão e a possibilidade de aquisição e reabastecimento do nosso Estado. E tivemos um compromisso do ministro em exercício de que, hoje ainda, irá conversar com o grupo de trabalho da Conab para viabilizar esse investimento. Essa é uma pauta extremamente relevante e teremos a parceria do Ministério para buscar uma solução", explicou o governador Carlos Moisés.

Santa Catarina utiliza aproximadamente sete milhões de toneladas de milho por ano para alimentação animal, sendo que mais de quatro milhões de toneladas são importadas de outros estados e países. Segundo o secretário de Estado da Agricultura, Altair Silva, a intenção do Governo do Estado é ampliar a oferta do grão em estoques públicos pra atender os pequenos produtores e também regular os preços praticados no mercado - que tiveram uma alta significativa no ano passado. 

No último Relatório de Disponibilização de Estoques, do período de 16 a 30 de novembro de 2020, a Conab tinha 624,4 toneladas de milho estocadas em Santa Catarina. O consumo do estado gira em torno de 19 mil toneladas por dia - 30 vezes mais do que o disponível para compra. "O abastecimento de grãos segue como um grande desafio para o agronegócio catarinense. Os estoques mínimos da Conab estão muito baixos e precisam ser repostos. Assim poderemos trazer mais segurança para que os produtores atravessem esse momento de elevação no preço do grão", ressaltou Altair Silva, que participou da audiência remotamente por estar com Covid-19.


Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp

Participe do nosso grupo do Telegram




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



AGRICULTURA  |   24/02/2021 07h56





AGRICULTURA  |   19/02/2021 12h52


AGRICULTURA  |   08/02/2021 13h16