Portal Faxinal

NOTÍCIAS



Gol no Grêmio e carinho da torcida chilena: conheça Diego Torres, novo meia da Chape

Jogador de 27 anos é anunciado pelo Verdão e está liberado para fazer estreia pelo clube

10/08/2018 às 06h42

Canhoto, bom passe, arma jogadas e consegue cadenciar o ritmo do jogo. O perfil de um camisa 10 clássico, raridade no futebol, se encaixa com o de Diego Torres, meia de 27 anos anunciado pela Chapecoense no último sábado. Regularizado, pode ser opção do Verdão no próximo domingo, diante do Corinthians.

No alto de seus 1,74m, Diego Torres consegue comandar o jogo e ditar o ritmo da partida. Argentino, também é conhecido por ser o famoso motorzinho - com disposição e entrega por todo o campo. Na carreira, leva o status de ter feito parte de um Deportes Iquique que conseguiu disputar uma Libertadores - e fez gol contra o campeão de 2017, o Grêmio.

Clubes onde jogou: Chacarita Junior, Alumni de Villa María e Estudiantes de Caseros, da Argentina, e Deportes Iquique, do Chile.

Na última temporada pelo Iquique, esteve em campo em 33 partidas - um total de 2.821 minutos. Marcou seis gols e deu seis assistências. Nos jogos, tem a marca de 82% de acertos de passes totais. Se considerados apenas os passes ofensivos, tem 72% de acertos e uma média de quase 14 passes por jogo.

Assim como Yann Rolim, que estreou com a camisa verde e branca há pouco tempo, Diego Torres tem bom poder de finalização. Pelo Iquique, possui média de quase dois arremates por jogo - com 48% de eficiência ao gol.

Miguel Araya Cruz - setorista do Deportes Iquique na Rádio Biobio:

Como joga?

- Diego Torres é um meio-campista canhoto, com bom físico e presença ofensiva. Tem uma boa perna esquerda e também cobrança de faltas. Ajuda no meio-campo e também nas subidas e descidas por conta de sua capacidade física. Essa mesma aplicação às vezes faz seu futebol parecer confuso, mas ajuda seus companheiros de equipe e toma as rédeas do jogo quando necessário. Joga pela esquerda, mas fez boas partidas atuando pelo lado direito também.

Como foi no Iquique?

- Chegou ao Iquique sendo sendo um completo desconhecido para o futebol chileno, mas rapidamente ganhou a torcida com suas boas atuações. Foi fundamental na campanha que o clube se classificou para a Copa Libertadores. Também foi uma peça importante no melhor Deportes Iquique da história, lutando com a Universidad Católica pelo título, que foi perdido nas últimas rodadas. Todas essa performances e sua entrega para a camisa azul fez com que ganhasse o respeito da torcida iquiqueña.

Claudio Espinoza - repórter da ADN Rádio e programa Tigre Deportes, da Rádio Vilas.

- É um jogador talentoso, mas um pouco desordenado. Ele tem boa técnica, condução de bola e parte para cima. Joga pela esquerda e é bom cobrador de bola parada e faltas. Em Iquique, teve uma grande campanha em 2016, lutando pelo título, que foi perdido na penúltima rodada. Classificou-se com a equipe para a Libertadores e jogou a Sul-Americana. Ele foi o mais regular durante 2018 em uma campanha ruim da equipe. Marcou seis gols nesta temporada.

O gol em cima do Grêmio

O meia esteve em campo contra o Grêmio na campanha da Libertadores de 2017, quando o Deportes Iquique enfrentou o Tricolor na fase de grupos. Foi dele gol da vitória de virada da equipe chilena, por 2 a 1, em cobrança de falta.

Fonte: G1



SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

* Fique tranquilo que ele não será exibido junto ao comentário.





VEJA TAMBÉM